Menus de configuração no Painel de Administração

Experimentoria

Menus de configuração no Painel de Administração

5 dicas para aprender programação sem stress

Aprender programação pode ser uma verdadeira chatice se você não souber por onde. Preparamos algumas dicas para você aprender sem stress!
Share on Facebook93Share on Google+0Tweet about this on Twitter

Conhecimento em programação pode te abrir portas para ótimos empregos e abrir sua mente para criar seus próprios projetos digitais – e isso vem fazendo mais e mais pessoas se interessarem pelo assunto. Talvez você tenha começado a estudar programação, pensando numa carreira ou como hobby. Ótimo. Programação faz bem para o cérebro – mas talvez você esteja começando a sentir um pouco… Sobrecarregado de informações. Isso não é legal.

6358337478967936021396683331_anigif_mobile_d8d6ae7936c479d3aee30592520879b0-0

Bem, logo de cara, vou te jogar a real: não existe um método 100% perfeito de aprendizagem que vai te impedir de querer arrancar os cabelos. Isso é um processo natural de aprendizado de algo que você não está acostumado, e, por padrão, não é algo completamente intuitivo de se aprender.

Mas calma! Esse post foi preparado para compartilhar algumas dicas para quem está começando. Espero que consiga aliviar essa jornada pra você!

1. O problema não é com você: programação pode ser complicado

astronaut

Como em todas as coisas da vida, você tem quer ter o mindset correto antes de começar a aprender sobre código. Claro, você pode começar com uma atitude de m$%@, reclamando de tudo e ainda assim aprender uma coisa aqui e ali, mas vai ser um processo muito mais demorado e você vai odiar todo o percurso de aprendizado.

Programação não algo simples ou intuitivo, não há dúvidas quanto a isso. Até os programadores mais crânios ficam travados regularmente com bugs no código que eles mesmos escreveram. Pode parecer que todo mundo à sua volta sabe o que está fazendo e você é o único que está se esforçando para entender algo, mas isso está bem longe de ser verdade.

É necessário consolar-se com o fato de que todo mundo tem problemas com programação no começo. Você não está sozinh@ na sua jornada. Não só é normal se sentir confus@ e frustrad@, como também esperado. Não há nada de errado com você se você achar difícil, então não se sinta desencorajad@ ou estressad@. Leva tempo para aprender.

E é esse o mindset que você precisa ter se você quer aprender a programar: vai levar um bom tempo. Estamos falando de anos aqui. O jeito mais rápido e fácil de se tornar estressado como programador aprendiz é esperar que você terá um entendimento instantâneo, melhoria instantânea e resultados instantâneos. Veremos adiante que simplesmente não funciona assim.

Então, #ficadica: faça as pazes com o fato de que a jornada vai ser longa e provida de algum sofrimento.

2. Aprenda a pensar logicamente, um passo de cada vez

b6cb3ae0-7471-0133-0bea-0e76e5725d9d

Assim como linguagens faladas, linguagens de programação são vastas e tem suas particularidades, e devem ser aprendidas a partir da base fundamental (pense no processo de aprender uma língua estrangeira como inglês, alemão ou francês). Portanto, comece pelo fundamental básico: idiomas começam com letras, depois palavras e depois frases. Com linguagens de programação, você precisa começar com palavras-chave, sintaxe e fluxo.

Não se preocupe com material avançado até que você tenha dominado o básico. Não faria sentido você começar a escrever poesia sem entender as regras básicas de gramática, certo? Adie as coisas avançadas até que você realmente tenha entendido o fundamento da programação. Em outras palavras, não tenha pressa. Foque num tópico por vez antes de ir para o próximo. Ao limitar seu escopo de estudo dessa maneira, você mantém a mente sã e não se sentirá sobrecarregad@. É a regra básica de determinar objetivos concretos: um passo à frente e você não está mais no mesmo lugar.

Um excelente start pra quem nunca sequer ousou digitar uma linha de código é entender o que são fluxogramas de algoritmo. Com exercícios básicos como “sair para comprar tomates no mercado”, até até construir a funcionalidade de um software, construindo algoritmos usando figuras ao invés de palavras, você estará anos na frente de quem nunca usou essa simples ferramenta.

3. Tem que rolar aquele “estalo”

mickey_experimentoria

Já faz mais de 1 ano que estou estudando Unity, que consiste em paradigma de componentes de entidade ao invés do mais comum paradigma orientado a objetos que eu cresci aprendendo. Foi muito frustrante nos primeiros meses pois eu simplesmente não conseguia entender o conceito.

Até que um dia, sentei na frente do meu computador e tudo fez sentido num estalo. O material que eu estava arrancando os cabelos pra aprender finalmente fez sentido. Não houve um vídeo ou tutorial em particular que abriu meus olhos. Foi simplesmente uma epifania. Uma epifania-programática-stress-free.

A lição é essa: nem tudo vai fazer sentido de imediato. Não tem nada a ver com aptidão ou inteligência. Programação é uma daquelas coisas que você entende ou não, e pode levar um tempo pra “chave virar”. Pode ter certeza, vai acontecer uma hora, contanto que você não desista. Persistência e resiliência são qualidades importantíssimas para qualquer tipo de programador.

4. Estude o maior número de recursos que puder

tumblr_naym9hv5fL1t1574wo8_500

Suponha que alguém lhe mostre uma fotografia de uma estátua. Ela pode te dar detalhes suficientes para que você possa ter uma noção da estátua, mas você não iria olhar para o cenário completo. Uma foto sem zoom poderia perder detalhes da estátua e uma foto com bastante zoom pode fazer você perder o senso de perspectiva da imagem. Porém, à medida que você for recebendo mais fotografias em diferentes distâncias e ângulos, começará a ter uma noção muito melhor da estátua, como texturas, tamanho, detalhes e diferentes lados.

Com programação é a mesma coisa: somente uma explicação geralmente não é o suficiente para se pegar o conceito todo. É por isso que é importante conseguir o maior número de recursos de aprendizagem que conseguir em termos de documentação, tutoriais, vídeos, palestras, etc. Cada recurso adicional vai prover um pedacinho de informação nova.

Por exemplo, você pode ler o tutorial A e no final ter ficado meio perdid@. O tutorial B também te deixou confus@, mas ao mesmo tempo esclareceu alguns tópicos que o tutorial A não cobriu. E aí você vê o tutorial C que explica como juntar os benefícios já aprendidos nos tutoriais A e B e tudo faz mais sentido.

Também ajuda muito ter um amigo ou colega que manje mais que você para pedir ajuda, ou um mentor (como um professor da sua faculdade, por exemplo) – ser auto-didata é ótimo, mas ter alguém que pode te responder algo que está te fritando por dias em 5 minutos é ótimo 😉

5. Faça nosso curso de Arduino para iniciantes!

Claro, tinha que rolar um jabá, né? Nosso curso de Arduino tem tudo o que você precisa para começar a entender programação e Arduino. A parte mais divertida é que você vê o seu código funcionar no mundo real, usando LEDs, fotoresistores, botões e muito mais – até conseguir criar um sistema que rega sua planta automaticamente. E ao final você poderá dizer que foi você que fez aquilo, desde o início. A Tati Fernandes, nossa instrutora, vai te guiar passo-a-passo desde a utilização de fluxogramas, até suas primeiras linhas de código (tem até um pianinho digital!), até construir o seu próprio regador automático com a carinha do Mario Bros 😀

Não está muito certo se vale a pena? Faça um test drive com as nossas aulas introdutórias do curso – são de graça!

E como somos legais e gostamos de gente que quer aprender, copie e cole o código arduino5-exp na hora da sua compra para ganhar 5% de desconto! Clique aqui para acessar e comprar.

Outros posts interessantes:

Share on Facebook93Share on Google+0Tweet about this on Twitter

1Respostas em 5 dicas para aprender programação sem stress"

Deixe sua mensagem

EXPERIMENTORIA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Menus de configuração no Painel de Administração